Um Estado de muito potencial

Engenheiro civil, especialista em Engenharia de Petróleo, pós-graduado em Engenharia Econômica e Mestre em Engenharia Industrial, o secretário Estado de Desenvolvimento, Heber Resende, é categórico ao garantir – diante da pergunta de que tipo de indústria da área de petróleo teria maior potencial para se desenvolver no Espírito Santo – que “toda a cadeia produtiva necessária à indústria do petróleo tem potencial para se desenvolver no Estado”.

Por outro lado, ele sabe que além de potencializar a indústria do petróleo em solo capixaba, o Estado tem outros desafios. E um deles é a melhoria da competitividade. “A melhoria da competitividade tornou-se premissa para todos os estados, municípios e empresas”, alegou. E como desenvolvimento da competitividade tem tudo a ver com infraestrutura logística, ele já adiantou que a equipe da Sedes vai buscar os recursos necessários para garantir a conclusão das obras em andamento e o início de novos projetos.

Nesta entrevista, Resende falou também sobre outros temas ligados ao desenvolvimento do Estado. Confira!

Atração de empresas – “Num momento em que vários estados sofrem com a escassez de recursos e cortes de receitas, o Espírito Santo destaca-se com potencial para atração de empresas. Em primeiro lugar pela sua posição geográfica, mas outro indicador que fortalece nossa competitividade e  classificação da situação fiscal do Estado, que desde 2014 obteve nota A pela Secretaria do Tesouro Nacional. Isso garante segurança econômica e até jurídica às empresas que desejam se instalar aqui, além de facilitar o acesso a crédito pelo Estado, como financiamentos nacionais e internacionais”.

Desenvolvimento e infraestrutura – “Não dá para falar em desenvolver a competitividade sem falar também em investimentos em infraestrutura logística como rodovias, ferrovias, portos… Por isso, vamos buscar recursos para garantir que as obras que estão em andamento sejam concluídas, além de iniciarmos outros projetos”.

Economia digital – “O Espírito Santo está aberto a todos os tipos de empresas, que geram desenvolvimento, trabalho e renda. Por meio da Sedes, oferecemos diferentes tipos de atrativos para fortalecer a competitividade do Estado, além de fortalecer o potencial das empresas que aqui nascem ou desejam se instalar. Em alinhamento com as próprias diretrizes de governo, buscamos novos caminhos para a economia digital, também conhecida como economia 4.0. É preciso ampliar as plantas que já existem, além de atrair fábricas de software, automação industrial e e-commerce, por exemplo”.

Diversificação econômica – “O Estado desponta pelo potencial estratégico em sediar grandes centros de distribuição e vamos trabalhar para consolidação deste setor. Além disso, temos em andamento grandes investimentos nos setores de logística portuária, rodoviária e aérea, que são acompanhados pela Sedes e, assim que concluídos, fortalecerão ainda mais nossa diversificação econômica”.

Muitos projetos em discussão – “Diversos projetos estão sendo discutidos no sentido de ampliar nossa infraestrutura e competitividade, e assim favorecer o crescimento dos diferentes setores produtivos em atuação no Estado. Temos atualmente, em processo de implantação, terminais portuários privados, como Petro City, Porto Central, Porto de Imetame e ampliação do Portocel. Vamos dar continuidade às obras do Aeroporto Regional de Linhares, além de implantar melhorias no Aeroporto de Cachoeiro de Itapemirim. Entendemos que tais esforços são fundamentais e contribuirão para o fortalecimento econômico. A Sedes também acompanha investimentos federais implantados no Estado, como aqueles destinados à duplicação de rodovias, e empenhará esforços para que novos investimentos ferroviários e aeroviários sejam executados no Estado.