Cachoeiro dá maior protagonismo a estudantes em novo modelo de ensino

Município implanta a metodologia da Escola da Escolha, o mesmo que é adotado na rede estadual de ensino, por meio da Escola Viva

 

Cachoeiro de Itapemirim sai na frente e é o primeiro município de fora da Grande Vitória a adotar a metodologia da Escola da Escolha. O novo modelo dá um maior protagonismo a cerca de 500 alunos, que contam com aulas em período integral e a possibilidade de optar por disciplinas eletivas, bem como matérias do currículo convencional. Além disso, por meio do sistema diferenciado de ensino, os alunos da Região Sul terão a oportunidade de realizar todo o ciclo da educação básica – do 1º Ano do Ensino Fundamental ao 3º Ano do Ensino Médio – numa escola em tempo integral, pois Cachoeiro possui duas Escolas Vivas que atendem Ensino Fundamental 2 e Ensino Médio.

Adotada em 1.300 escolas de todo o País – inclusive nas 36 unidades da Escola Viva no Espírito Santo, uma vez que o método é o mesmo -, essa metodologia já está sendo aplicada, em Cachoeiro, nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental Athayr Cagnin, no bairro Nossa Senhora de Fátima, e Julieta Deps Talon, no Zumbi.

Nessas escolas, os alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental têm jornada estendida, com aulas das 7h30 às 16h30. Durante esse período, além das disciplinas do currículo convencional, os estudantes vão exercer seu protagonismo, tendo liberdade para a escolha de atividades complementares, em disciplinas eletivas.

Propostas por professores e pelos próprios alunos, essas disciplinas têm nomes criativos e curiosos, como forma de despertar a atenção. Um exemplo é a eletiva intitulada “Qual é o doce mais doce do que o doce da batata doce?”. Nela, as aulas vão explorar noções de quantidade, peso e medidas em receitas de doce. E ainda será possível se divertir com frases do tipo “trava-línguas” da cultura popular infantil.

“Nessa metodologia, a criança se torna também responsável pelo seu aprendizado, fazendo com que seu interesse aumente e, consequentemente, melhore seu desenvolvimento na escola. O aluno passa a ser envolvido na preparação do seu currículo e dos projetos escolares e amplia seu contato com os profissionais. Com isso, acreditamos na promoção de mais ânimo e engajamento do aluno em suas atividades educacionais”, destacou o prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Victor Coelho.

“Estamos promovendo a conjugação da ampliação do tempo de permanência na escola com práticas educacionais que favorecem o aprimoramento das potencialidades dos alunos e, também, dos educadores”, complementa a secretária de Educação do município, Cristina Lens. “Temos confiança de que nossa rede terá um salto ainda maior em qualidade de ensino”.

Para planejarem atividades escolares de acordo com os princípios da nova metodologia, gestores, pedagogos, professores e articuladores de aprendizagem passaram por duas semanas de formação antes do início das aulas. O Núcleo de Educação do Espírito Santo em Ação, junto com o Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE) e por meio de uma parceria com o Movimento Empresarial do Sul do Estado do Espírito Santo (Messes), é quem está transferindo a metodologia desse modelo de escola para a secretaria de Educação do município.

Vice-presidente do Messes, José Bessa vê a implantação dessa nova metodologia como uma revolução que vai elevar a qualidade da educação em toda a região. “Trata-se de um marco que se inicia em nosso município. Cachoeiro se torna protagonista da maior revolução do Ensino Fundamental que o Estado já experimentou”.

A formação dos educadores e também o acolhimento aos pais e aos próprios estudantes, na apresentação do projeto educacional implantado nas escolas, contaram com o apoio dos Gigantes Capixabas. Criada com o auxílio do Espírito Santo em Ação, essa associação é formada por voluntários, ex-alunos da Escola Viva, e pretende contribuir para a melhoria da qualidade da educação pública no Estado.

Além disso, para se adequarem ao novo modelo, as duas escolas foram revitalizadas, com uma reorganização de espaços dos prédios de forma a possibilitar a realização de atividades pedagógicas com foco no estímulo à criatividade e no desenvolvimento de competências e habilidades.

Para o diretor-presidente do movimento empresarial, Luiz Wagner Chieppe, o interesse da gestão municipal em olhar de maneira diferenciada para uma das questões mais relevantes do País, atualmente, merece ser enaltecida.

“O empenho da equipe de Cachoeiro em implantar a metodologia mostra o quanto eles, assim como nós, do Espírito Santo, reconhecem a educação como o instrumento que nos leva ao desenvolvimento econômico e social, e que nos dá autonomia, liberdade para fazermos nossas escolhas”.

0ad7ec37-dcd7-454c-b6a8-a45441535ffb 1d22a459-f72f-4030-91ff-5a0e96c69051 7b7c4b50-19c1-4013-8238-454c5a158938 54fe1779-2797-4dac-9d6b-8131754df51e 96fdb326-75de-42a2-85af-2868e9362c28 0462e538-11a3-4237-8af7-2a4c762e9395 737962df-7e58-4cc8-9238-e07a73589a66 b96a4662-b651-4aee-bf31-0d75149148ef e94b9525-7be3-486a-8b63-b2ee78a03357 fc6f14b6-4d0d-4f5b-b3d4-febf57607398 fd766295-7b09-4398-830e-81b2d3888479
<
>