Educação: reunidos para pensar no futuro!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O ES em Ação marcou presença no Cachoeiro Café, que teve o objetivo de avaliar as ações desenvolvidas no 1º semestre e projetar ações e soluções para o futuro (os próximos 6 a 12 meses), no âmbito das escolas e da Secretaria de Educação (Seme) de Cachoeiro de Itapemirim. 

O encontro, que aconteceu no início de setembro, também foi uma oportunidade para apresentar as boas práticas criadas nas escolas para melhoria do aprendizado dos estudantes e contribuição da formação integral, proporcionando uma troca de experiências entre os profissionais.

Além das consultoras do ES em Ação, quem também esteve presente neste momento foram as equipes de Implantação, Seme de Cachoeiro e as equipes gestoras das Escolas em Tempo Integral (gestores, pedagogos e coordenadores Administrativo-Financeiro).

Segundo a consultora educacional do movimento empresarial, Polliana Aroeira, a metodologia das boas práticas foi adaptada do World Café, de Juanita Brown – “Dando forma ao nosso futuro por meio de conversações significativas e estratégicas”.

“A metodologia é simples e tem a fenomenal capacidade de trabalhar a diversidade de ideias e a complexidade nos grupos de maneira interativa, fazendo emergir a inteligência coletiva, o senso colaborativo e o espírito de corresponsabilidade”, disse Aroeira.

De forma sistematizada, Aroeira apontou quatro critérios pertinentes e esclarecedores para entender e compreender a metodologia:

Consistência metodológica

O método pelo qual essa boa prática foi desenvolvida tem um processo claro e sistematizado quanto ao seu planejamento, execução e avaliação dos resultados que foram desenvolvidos.

Pertinência e relevância para o projeto escolar

A metodologia tem relevância para o projeto escolar se agregar valor. Esse valor deve colaborar para o fortalecimento daquilo que a Equipe Escolar se dedica para realizar.

Evidência e impacto dos seus resultados

Muitas perguntas são feitas ao longo desse processo, como “Os resultados alcançados por essa boa prática são mensuráveis?”, “Como foram identificados e medidos?”, “Como foi avaliada a efetividade do desenvolvimento da Boa Prática, ou seja, ela realizou o que foi planejado? E como isso foi verificado?”.

Toda boa prática deve gerar bons resultados e estes devem ser visíveis e impactantes. Os resultados devem contemplar impactos positivos para a comunidade escolar e para todo o público envolvido. Eles devem ser percebidos junto aos benefícios que traz para os estudantes e a comunidade escolar.

Possibilidade de replicação

A Boa Prática selecionada apresenta condições operacionais, logísticas e econômicas de ser replicada em outras unidades escolares, tendo em vista a expansão do programa no seu município.