Eleições: 5 pontos de atenção para a economia brasileira

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O economista e conselheiro do ES em Ação, Orlando Caliman realizou uma análise da atual situação da economia brasileira e as oportunidades em um ano eleitoral. Nessa entrevista, ele destacou quais são os cinco pontos de atenção e analisou o cenário em que o estado do Espírito Santo se encontra. Caliman palestrou sobre o tema no XIII Café Empresarial promovido na última quinta-feira, pela Assevila.

De forma breve, a seguir é possível identificar os cincos pontos importantes listados pelo economista e sua análise.

1 – Questão fiscal: garantir o equilíbrio fiscal

“Hoje há muita incerteza quanto a essa garantia, principalmente pela instabilidade política crescente, garantia de um mínimo de previsibilidade facilita aproveitar as oportunidades”, disse.

2 – Reformas

“Fazer as reformas consideradas básicas para melhorar a competitividade e a melhor eficiência do Estado: Reforma tributária, reforma administrativa (adequar o estado)”.

3 – Investimentos e Infraestrutura

“Agilizar investimentos em infraestrutura melhorando a segurança jurídica de contratos de concessões/privatização”.

4 – Política Externa

“Política externa de maior integração e inserção do país – hoje a política que prevalece é de isolamento – o país precisa aderir aos grandes temas globais como a questão climática, a questão ambiental etc”.

5 – Educação

“Investir fortemente na educação para um novo mundo – esse item deveria ser a prioridade número um”.

Oportunidades econômicas no Brasil

O economista é conselheiro do ES em Ação, sócio proprietário do Instituto Futura, responsável pela área técnica, no aporte de conteúdo e metodologias de pesquisa, análises, estudos e elaboração de planos setoriais e de desenvolvimento local. Com vasta experiência na área, Caliman pontuou e analisou as oportunidades econômicas para o Brasil.

“Se observarmos os números históricos da economia brasileira e também da capixaba vemos que o modelo já demonstra estar passando por um processo de ‘desgaste de materiais’. Na última década tanto a economia brasileira como a capixaba apresentaram taxas médias anuais de crescimento inferiores a 1%. Isso nunca aconteceu por mais de século. Nessa mesma década a economia global cresceu a um taxa média no entorno de 4% ao ano. Isso significa que a economia brasileira perdeu dinamismo e competitividade, ressalvando-se apenas o agronegócio e produção de commodities minerais”, pontuou o economista.

Economia do Espírito Santo

Orlando Caliman

Segundo ele, o Brasil perdeu sobretudo em produtividade geral. Acrescentando, que naturalmente, as oportunidades existem no mundo, porém para aproveitá-las, o país precisa destravar os obstáculos que impedem o seu crescimento e melhorar a competitividade em relação aos demais países.

“Isso pressupõe primordialmente avançar no campo de novas tecnologias e inovação, que por sua vez depende de fortes investimentos em educação, pesquisa e desenvolvimento. Ou seja, o Brasil tem um enorme potencial que lhe é nato, que são os recursos que a natureza lhe oferece. Porém peca, e pecou no passado, pelo lado da capacidade de aproveitá-los adequadamente. O mundo do futuro será das tecnologias da informação e comunicação, da biotecnologia, da biologia avançada, da bioeconomia, da indústria 4.0. Áreas nas quais o Brasil ainda patina”.

Caliman destacou quais as oportunidades de economia e desenvolvimento para o Espírito Santo, e quais são os próximos cenários econômicos que os capixabas podem esperar.

“No caso do Espírito Santo observa-se que já se transformou em um verdadeiro hub comercial. Dados de 2021 indicam que a nossa corrente de comércio interestadual chegou a representar cerca de 80% do PIB em valores. Em 1975, esse mesmo indicador foi de apenas 43%. Ou seja, as oportunidades da economia capixaba, além é claro das tradicionais commodities (aço, ferro, petróleo e celulose), podem ser ampliadas reforçando-se essa condição de plataforma logística, mas principalmente agregando valor e qualificando-se para também se transformar plataforma de demandas. A situação de equilíbrio fiscal e de estado visto como bem organizado já um grande aliado nessa tarefa”, concluiu.

Representantes da Assevila no Café Empresarial

Café empresarial

No última quinta-feira, 28 de abril, aconteceu a XIII Edição do Café Empresarial Assevila, organizado pela Associação Empresarial de Vila Velha (Assevila), no 38º Batalhão de Infantaria do Exército Brasileiro, em Vila Velha. O evento contou com a participação do economista Orlando Caliman que falou ministrou a palestra “Economia Brasileira em um ano eleitoral: reflexos e oportunidades em Vila Velha” e do diretor do ES em Ação, Paulo Wanick.

Orlando Caliman, o prefeito Arnaldinho Borgo e Paulo Wanick, do ES em Ação

Na ocasião também esteve presente o prefeito de Vila Velha, Arnaldinho Borgo, que falou sobre o desenvolvimento do município e as oportunidades para este ano. Além de outras autoridades públicas e empresariais.

O Café Empresarial Assevila, já é um evento marcante no município de Vila Velha, que reúne autoridades, lideranças empresariais e empresários de diversos segmentos econômicos do estado e principalmente do município.

Veja o vídeo de como foi o encontro!