Soluções colaborativas desenvolvem o Espírito Santo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O estado do Espírito Santo conta cada vez mais iniciativas que apresentem soluções colaborativas e inovadoras para uma sociedade mais justa e desenvolvida, principalmente nas áreas de digitalização do poder público e sustentabilidade do meio ambiente.

Elas foram pauta na palestra de Transformação Digital e Sustentabilidade, promovida pelo ES em Ação, o Sicoob ES e o Sistema OCB/ES, no último dia 9 de março, com representantes das prefeituras como secretários de desenvolvimento e serviços digitais, secretários de agricultura e meio ambiente, assessores e dirigentes.

A palestra, que reuniu mais de 60 representantes, apresentou os projetos Governo Digital e Água Limpa + Saúde. Também permitiu que o ES em Ação dialogasse e a aproximasse os projetos das esferas pública e privada.

Nailson Bernadina, diretor do ES em Ação

“Entendemos que só através da correta qualificação dos sistemas público e privado que nós vamos continuar elevando e desenvolvimento das nossas regiões. Não é responsabilidade só do setor público, é responsabilidade de toda a sociedade”, disse o diretor de Gestão e Governo Digital do ES em Ação, Nailson Dalla Bernadina.  

Para o diretor do Movimento Empresarial, multiplicar as iniciativas de parcerias entre o público e privado é uma forma de desenvolver os municípios capixabas, de forma sustentável e permitindo uma melhoria do ambiente de negócios.

Governo Digital

Breno Coelho, da Gove Digital

Para auxiliar os gestores públicos a entender o contexto de seu município no tema, a Gove Digital criou a primeira metodologia nacional de avaliação dos processos de Transformação Digital dos municípios: o Diagnóstico de Transformação Digital Municipal. Os gestores municipais estão sendo convidados a responder a pesquisa até o dia até 31 de março de 2022.

A ocasião foi uma oportunidade de sensibilizar e difundir entre os gestores e administradores municipais a pesquisa de transformação digital da Gove. O convidado para falar sobre o projeto foi o diretor de Relacionamento e Expansão da Gove, Breno Coelho.

“Entendemos como transformação digital aquilo que vem para deixar o poder público mais eficiente. É transitar de um modelo que é manual, e por meio de tecnologia e inovação pensar e implementar políticas públicas que sejam mais eficientes e de maior qualidade para o cidadão”, ponderou Coelho.

Hoje, o cidadão busca exigir cada vez mais os melhores serviços à sua disposição. Por isso, a Gove criou uma metodologia para auxiliar os gestores nessa transformação digital na administração pública municipal.

O Diagnóstico de Transformação Digital Municipal possui uma metodologia composta por seis pilares que permitem ao município se autoavaliar e, consequentemente, entender sua maturidade nas iniciativas de transformação digital.

“Incentivamos que todas as prefeituras participem desse diagnóstico, solicitando e preenchendo o formulário da GOVE, que é um passo importante para identificar oportunidades de ações relevantes para a transformação digital”, finalizou o secretário Executivo do ES em Ação, Orlando Bolsanelo Caliman.

Projeto Água Limpa + Saúde  

Com o objetivo de que toda propriedade rural trate adequadamente o esgoto doméstico, o movimento Água Limpa + Saúde visa, por meio da intercooperação, prover aos produtores rurais do Espírito Santo, as condições para que as propriedades possam implantar uma solução eficaz e de baixo custo para o tratamento do esgoto doméstico contribuindo para a saúde das pessoas, sustentabilidade dos negócios, qualidade da água dos mananciais e preservação do meio ambiente.

“Para este ano, pois é um projeto a longo prazo, colocamos como meta alcançar 1 mil produtores rurais, para que eles sejam multiplicadores do movimento. Assim, alcançando mais e mais pessoas”, afirmou o superintendente Operacional do Sicoob, Alecsandro Casassi, que foi o responsável por apresentar o projeto para os participantes.

Casassi destacou que o Sicoob apoia várias entidades não governamentais, porque uma das diretrizes é destinar recursos financeiros para ações sociais voltadas para saúde, educação, cultura e esportes.

Em uma pesquisa realizada pelos técnicos das cooperativas agro entre os dias 3 e 7 de julho de 2021, foi possível chegar aos seguintes dados:

  • 81% dos produtores rurais dão pouca importância para o esgoto na propriedade;
  • 75% dos produtores rurais não reconhecem os benefícios individuais e para o meio ambiente que o tratamento do esgoto proporciona;
  • 51% dos técnicos nunca visitaram uma propriedade com tratamento adequado do esgoto doméstico;
  • 96% dos técnicos recomendariam sistemas de tratamento de esgoto para as propriedades rurais.

Os dados fortaleceram ainda mais a busca por propostas de soluções para o tratamento de esgotos domésticos no meio rural. A solução foi encontrada no Espírito Santo, com o apoio da empresa capixaba FORTLEV, com o equipamento biodigestor, um sistema compacto de tratamento de esgoto e disponível em versões que atendem residências com até 15 pessoas.

O equipamento é impermeável, o esgoto em tratamento não tem contato cm o solo; compacto, precisa de pouco espaço para a instalação; possui alta eficiência, remove até 80% dos resíduos poluentes; tem capacidades disponíveis de 700 a 1.500 litros/dia, sendo o primeiro capaz de atender uma família de até cinco pessoas e o segundo, uma família de até 10 pessoas.

“Para promover o avanço do projeto, contamos com apoio das prefeituras e de entidades. Apoio pode ser na instalação dos biodigestores, ações de conscientização junto aos produtores, além da divulgação em canais de comunicação”, concluiu o superintendente Operacional do Sicoob.