Um ano de muito diálogo, articulação e entregas. E que venha 2019!

Expansão do projeto Escola em Tempo Integral para municípios do Estado, consolidação do trabalho de formação de lideranças, novos desafios na área de gestão pública, projetos grandiosos na saúde pública, articulação nos diálogos entre Vale, ArcelorMittal, Ministério Público Federal e Estadual, e Secretaria de Meio Ambiente, que resultou na assinatura de um Termo de Compromisso Ambiental, comemoração dos 15 anos. O ano de 2018 foi de muito trabalho para o Espírito Santo em Ação. E justamente por isso foi especial, foi um ano que termina com boas entregas e que se despede deixando boas perspectivas.

A série de entrevistas com a diretoria do Espírito Santo em Ação se encerra num bate-papo com o diretor-presidente, Luiz Wagner Chieppe, que faz um balanço sobre os últimos 12 meses. Executivo que tem no otimismo sua marca registrada, ele se diz extremamente satisfeito com as entregas da instituição este ano e já está com os olhos pregados em 2019, ano que promete, dentre outras coisas, proporcionar um “boom” para a expansão do projeto Escola em Tempo Integral.

Vamos fazer um balanço geral de 2018 no movimento empresarial? Quais foram os grandes destaques do ano para o Espírito Santo em Ação?
Tivemos um ano bom! Na Educação, iniciamos a expansão das Escolas em Tempo Integral com o município de Cachoeiro de Itapemirim e os trabalhos estão avançados. Em fevereiro, duas escolas do Ensino Fundamental 1 serão inauguradas. Além disso, vamos fechar 2018 com 15 novas Escolas Vivas – fechando, portanto, com 32 unidades.

Outro destaque do ano foi a assinatura do TAC – Termo de Compromisso Ambiental. O Espírito Santo em Ação foi um agente importante na articulação do diálogo entre Vale, ArcelorMittal, Ministério Público Federal e Estadual, e Secretaria de Meio Ambiente. E como resultado, o governo no Estado desenvolveu um relatório em parceria com a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), a Vale e a ArcelorMittal, em que as empresas desenvolveram planos para investimentos que visam a redução da emissão de poluentes com metas audaciosas para os próximos anos.

No âmbito da saúde pública, o ES em Ação possui duas grandes frentes de trabalho extremamente relevantes para o Estado. Fizemos a doação dos projetos Arquitetônico e Estrutural Executivo do Hospital Geral de Cariacica, no valor total de R$ 2 milhões de reais, e atuamos com o Projeto de Qualificação da Gestão da Saúde, com o objetivo de fomentar e consolidar uma cultura de gestão de resultados na Sesa e realizar a implantação da Governança em todas as unidades da Rede Cuidar desde 2017.

Também marcaram o ano a consolidação do Instituto Líderes do Amanhã e a expansão de outros institutos de formação de liderança. Atualmente, além do Líderes temos o Líderes Livres (de São Mateus), a Aliança Jovem (Linhares), o Futuros Líderes (Colatina), o Jovens Líderes (Aracruz) e o Instituto de Formação Sul Capixaba (Cachoeiro do Itapemirim).

E o reconhecimento que nossa instituição vem recebendo de outros estados. Nossa forma de organização, uma instituição transversal, focada na construção e no fortalecimento de redes, tem sido vista com bons olhos. Muitos parceiros e entidades estão enxergando o Espírito Santo em Ação como um ator importante na construção das relações público-privadas.

O ES em Ação tem três pilares, educação, gestão pública eficiente e formação de lideranças. A instituição conseguiu desenvolver, ao longo do ano, boas ações em projetos para os três?
Sim! Como já disse, na Educação, além da inauguração de novas Escolas Vivas tivemos a expansão do modelo para os municípios – com Cachoeiro sendo o primeiro a apostar nesse sistema diferenciado de ensino, e durante o ano acompanhamos de perto a consolidação de nosso trabalho de formação de lideranças. Quanto à gestão pública, nosso grande desafio é apoiar a criação de um movimento em prol da gestão municipal, pois precisamos pensar na formação e renovação política. Isso sem falar na modernização das ferramentas e modelos de gestão de nossas cidades. Novas tecnologias e novas formas de se comunicar com os cidadãos precisam fazer parte do nosso cotidiano. Estamos propondo unir competências e conhecimentos de dentro e fora do Estado.

Você lançou este ano, quando a entidade completou 15 anos, o Programa de Visitas Itinerantes às Mantenedoras do ES em Ação, para apresentar o movimento às mantenedoras. Como avalia a ação? Gostou do resultado?
Fechamos o ano com saldo positivo. Precisávamos lançar alguma coisa que tivesse como objetivo apresentar a instituição aos mantenedores e inaugurar o Programa de Visitas Itinerantes às Mantenedoras quando comemoramos 15 anos foi uma ideia muito boa! Iniciamos com visitas às empresas que apoiam os projetos de Educação e vamos continuar ano que vem, abrindo para as outras mantenedoras.
E sim, gostei bastante do resultado, os feedbacks que recebi após cada visita deixou claro que nosso programa apresentou bem nossa instituição.

Luiz Wagner, o senhor sai de 2018 satisfeito com as entregas do movimento empresarial?
Muito satisfeito! Além dos projetos e ações das quais participamos, e sobre os quais já citamos, acho importante destacar, ainda, a reformulação de nosso time interno. Estamos trabalhando com uma equipe jovem e inovadora, que está nos ajudando a realizar e fazer a diferença dentro dessa nova proposta de trabalho, que preconiza engajamento, articulação e diálogo.

Falamos bastante de 2018, então agora vamos olhar para a frente. O que podemos esperar de novidades para o ano que vem?
Uma das grandes promessas para 2019 é a expansão do projeto Escola em Tempo Integral, e com a expectativa de criarmos o Instituto de Educação. Estamos estruturando essa nova ideia justamente para que ele possa atender à ampliação do projeto para a rede municipal. E um detalhe que precisa ser dito: essa ampliação está sendo realizada com atenção voltada também às regiões com maior fragilidade social.