Pesquisa aponta caminhos para a formação de lideranças no Estado

Pensar em estratégias para desenvolver e formar lideranças para a gestão pública do Espírito Santo. Esse é o foco da pesquisa que está sendo desenvolvida pela engenheira civil Kezia Murta. Professora de Matemática na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Catharina Chequer, em Novo México, Vila Velha, ela planeja levar essa busca por novos líderes também para a sala de aula.

“As pessoas que vão se tornar líderes no futuro precisam ser trabalhadas desde a base, ou seja, desde a escola. Podemos começar a falar de gestão pública em sala de aula, desmistificando a ideia de que seja algo burocrático e que não funciona. Assim, será possível gerar interesse nos estudantes para, no futuro, colhermos frutos, com o despertar de novos líderes”, acredita Kezia.

Para chegar lá, a engenheira analisa os caminhos que precisam ser percorridos nessa formação de lideranças aqui no Estado. E na pesquisa, vem focando em três vertentes.

“Para formar líderes, primeiro é preciso pensar em captar talentos e ver quais podem se transformar em boas lideranças. Também é necessário pensar em quem já é gestor público e pode ser melhor capacitado, para resolver problemas complexos do Estado e conseguir dialogar com diversos atores sociais. Por fim, temos de analisar a questão motivacional, porque há pessoas que já são gestoras e são capacitadas, mas, por razões diversas, podem ter perdido a conexão com a causa-fim”, detalha.

A engenheira civil lembra que essa busca por lideranças para a gestão pública não é limitada aos cargos eletivos – como governador e prefeitos -, mas também se estende a secretários, subsecretários, gerentes, etc. “São servidores que impactam nos setores onde estão e precisam ter um perfil de liderança bem desenvolvido”, frisa.

Natural de Ilhéus (BA) e formada pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Kezia veio ao Estado como integrante da ONG Ensina Brasil. Durante o período de férias escolares, participa de um período de imersão, que começou no último dia 9 e vai até o próximo dia 30, no Espírito Santo em Ação.

“Tem sido uma experiência muito interessante. Os bate-papos com empresários locais são enriquecedores”, destacou.


Confira as entrevistas com os outros Ensinas

Engenheiro paulista estuda novas fontes de energia para o Estado

Projeto analisa o potencial econômico do Estado