Jovens Líderes assume missão de ser agente de mudanças no Norte

Viver cada dia como se fosse o primeiro dia em busca do sucesso, com vontade de aprender, aprimorar e crescer. Em resumo, esse é o conceito do “Day One”, termo utilizado por Jeff Bezos, fundador da Amazon e atualmente o homem mais rico do mundo, que serve de inspiração para a geração que está sendo formada pelo Instituto Jovens Líderes, no Norte do Estado.

Criado em janeiro de 2018, pela Associação Movimento Empresarial Aracruz, João Neiva e Ibiraçu (Amear), o Jovens Líderes assumiu o desafio de renovar o quadro de lideranças empresariais da região para, assim, tornar-se um dos principais agentes de mudança não só no ambiente de negócios, mas também nos planos político, social e intelectual.

“Novas lideranças precisam surgir, com formação adequada para solucionar setores hoje tidos como improdutivos. E o Instituto Jovens Líderes espera ajudar nisso”, destaca a presidente do Instituto Jovens Líderes, Nayanne Santi Passos Tintori.

Nessa entrevista à equipe do Espírito Santo em Ação, Nayanne contou a história do Jovens Líderes e suas ações na região onde está presente. E ressaltou como o conceito de “Day One” inspira o trabalho do instituto: “Temos de estar sempre em busca do melhor diariamente, de mais conhecimento, aprendizado e desenvolvimento pessoal”.

Conte-nos um pouco da história do Instituto Jovens Líderes.

NAYANNE SANTI – No início de 2018, em janeiro, a Associação Movimento Empresarial Aracruz, João Neiva e Ibiraçu (Amear) assumiu a missão de formar jovens lideranças empresariais, pautadas sobre os valores liberais. Assim surgiu o Instituto Jovens Líderes, preocupado com a necessidade de formação de lideranças com valores sólidos, capacitadas a conduzir o Estado de maneira mais justa e eficiente.

Houve algum modelo que serviu de inspiração para o Jovens Líderes?

O instituto se espelhou no modelo de sucesso do Líderes do Amanhã, que é vinculado ao Espírito Santo em Ação. A formação dos associados ocorre pelo período de três anos, através de reuniões semanais, com diversas atividades, como estudos de livros e palestras com temas políticos, econômicos, filosóficos e empreendedorismo, workshops, júris simulados, seminários, visitas técnicas e participação em Fóruns de Liberdade e Democracia por todo o país.

Quais foram os desafios enfrentados desde o início?

Podemos citar como desafios a implantação de uma ideia nova em uma cidade considerada de interior e com pouquíssimas atividades voltadas para formação de lideranças jovens, mas que possui empresas de grande porte instaladas. E como tudo que é novo, tem que demonstrar diariamente o seu trabalho e o seu valor.

Aracruz é um município em pleno desenvolvimento, atraindo diversos novos negócios. Mas ainda há carência de lideranças na região? Como o Jovens Líderes espera ajudar a mudar essa realidade?

Há carência de líderes não só na região, mas em todo o País. Novas lideranças precisam surgir, com formação adequada para solucionar setores hoje tidos como improdutivos. E o Instituto Jovens Líderes espera ajudar a mudar essa realidade formando jovens lideranças empresariais, tornando-se um dos principais agentes de mudança do ambiente de negócios, contribuindo para a construção de uma sociedade mais justa e que goze de liberdade nos planos políticos, econômico, social e intelectual.

Como o conceito do “Day One”, de Jeff Bezos, inspira o instituto na missão de formação de lideranças?

Toda liderança tem que fazer do seu dia como se fosse o “primeiro dia” em qualquer âmbito, seja profissional, pessoal ou social. Temos que buscar a oportunidade de sempre aprimorarmos, reconhecermos e recomeçarmos. Estar sempre em busca do seu melhor diariamente, de mais conhecimento, aprendizado e desenvolvimento pessoal. Ninguém sabe tanto que não possa aprender, ou sabe tão pouco que não tenha para oferecer. Nenhum profissional, independente de que função exerça, sabe o suficiente que não possa aprender com a mais simples pessoa.

Que tipo de ações o instituto planeja desenvolver na região?

O instituto já desenvolveu, em setembro do ano passado, o seu primeiro seminário aberto ao público, com o tema “Liberdade, Atitude e Empreendedorismo” e pretende permanecer com esse projeto anualmente. A intenção é estabelecer um canal livre e democrático de debate, visando que as medidas políticas, sociais e econômicas sejam repensadas de forma a proporcionar um caminho responsável para o pleno e duradouro desenvolvimento. E o intuito é sempre fomentar a discussão e apontar alternativas viáveis para equacionar os desafios políticos e econômicos brasileiros, trazendo à tona questões atuais. Agora, já estamos nos preparativos para o segundo seminário, que acontecerá no segundo semestre deste ano.

Também estamos estudando um projeto para conhecer sobre os investimentos que vêm sendo feitos na nossa região, visando alocar melhor os recursos nas áreas de saúde, educação, segurança e infraestrutura do município.

Há alguma articulação dos Jovens Líderes com outros institutos?

Sim. Estamos sempre em contato com os institutos parceiros de Vitória, Linhares, Colatina, São Mateus e Cachoeiro de Itapemirim, para trocas de experiências, compartilhamento de ideias, e participando de atividades promovidas por cada um deles. Mas um dos que mais contribui para a solidificação do nosso instituto é o Líderes do Amanhã, ao qual consideramos como os nossos conselheiros diários e em cujo modelo nos espelhamos para o desenvolvimento de nossas atividades.