Institutos unem forças para formar novos líderes

Faltam novos líderes no Brasil. Essa frase foi repetida à exaustão nos últimos tempos, sobretudo durante a última corrida eleitoral. No Espírito Santo, porém, essa carência vem deixando de existir graças ao trabalho desenvolvido por seis institutos, que atuam na Grande Vitória e em mais cinco municípios, e recentemente passaram a se integrar em uma rede capixaba de institutos de formação de líderes.

Nessa rede, estão o Líderes do Amanhã, ligado ao movimento Espírito Santo em Ação, o Líderes Livres (de São Mateus), a Aliança Jovem (Linhares), o Futuros Líderes (Colatina), o Jovens Líderes (Aracruz) e o Instituto de Formação Sul Capixaba (Cachoeiro do Itapemirim).

Todos vão estar reunidos, no próximo dia 8, das 8h30 às 12h30, no Sicoob Central, em Vitória, para, juntos, refletir sobre os avanços obtidos este ano e planejar os ciclos de formação visando a 2019, com foco no desenvolvimento de pessoas capazes de liderar transformações e inovações no meio empresarial e na sociedade.

“Esse encontro será o encerramento de uma primeira etapa em que passamos a fomentar a criação e expansão de institutos de formação de lideranças empresariais no Estado”, explica Orlando Bolsanelo Caliman, diretor de Educação e Gestão Social, e responsável pela rede de institutos de formação de líderes.

A rede foi formada a partir da percepção de que era preciso conectar esses institutos, para propiciar um intercâmbio de informações. “Percebemos que os institutos que estavam surgindo no interior do Estado precisavam ter uma referência. E a referência, no Espírito Santo, é o Líderes do Amanhã, que é uma instituição autônoma, ligada ao Espírito Santo em Ação”, destaca Orlando.

Assim, foi criado um grupo de trabalho formado por membros honorários do Líderes do Amanhã – aqueles que se destacaram durante o ciclo de formação do curso – que assumiu a missão de dar assistência aos institutos do interior.

“Como o Líderes do Amanhã já tem sete anos de atividade, possui mais histórico de acertos, erros, práticas e aprendizados. E, naturalmente, pode ensinar um pouco mais para os outros. Mas também vai aprender com eles”, salienta Orlando. “Porém, não haverá uma hierarquia nessa rede. Todos os institutos continuarão funcionando de forma autônoma.  O papel do Espírito Santo em Ação, com o grupo de trabalho dos honorários do Líderes do Amanhã, será conectar a rede”.

A partir dessa rede e com um maior intercâmbio, os institutos poderão formar parcerias para a realização de eventos, como palestras e visitas técnicas, além de manter um fluxo de acesso à informação e boas práticas. “A meta é, a partir de 2020, formarmos pelo menos 50 novos líderes por ano, no Estado. Pessoas de viés empresarial, mas com uma visão aberta de mundo e capazes de pensar o indivíduo enquanto transformador da sociedade”, projeta Orlando.