Espírito Santo em Ação quer multiplicar a Escola em Tempo Integral

“Gosto de novos desafios”. A afirmação é de Aridelmo Teixeira, que optou por se licenciar da presidência do Espírito Santo em Ação para assumir o Projeto Multiplicação da Escola em Tempo Integral, cujo objetivo é construir a tão sonhada rede pública de educação integrada. Em função da grandeza do projeto, ele preferiu se dedicar exclusivamente à nova empreitada. Dessa forma, Luiz Wagner Chieppe continua como diretor-presidente do movimento empresarial até dia 31 de dezembro.

Segundo Teixeira, por meio do Projeto Multiplicação será possível unificar as redes estadual e municipais por meio de uma metodologia diferenciada que já se mostra consolidada nas escolas onde foi implantada.

“O que temos hoje é uma rede estadual e 78 redes municipais, e isso dificulta a integração da política de educação como Estado. Através desse projeto, nossa ideia é criar uma verdadeira rede de qualidade, por meio de uma metodologia que conecte nossos alunos desde a creche até o Ensino Médio”, explicou ele, completando em seguida.

“Educação é a nossa bandeira principal. Estamos iniciando uma nova etapa do Programa Escola em Tempo Integral, que consolida nossa proposta de chegar em 2030 tendo em todos os municípios e Estado uma escola de tempo integral com oferta para todos os nossos alunos. Estamos, portanto, falando de um projeto de grande magnitude, daí a necessidade de minha dedicação exclusiva. Quero acompanhar tudo de perto”.

Na terça-feira, 26, Arildelmo Teixeira, representando o Espírito Santo em Ação, esteve em São Paulo para uma reunião com executivos do Instituto Sonho Grande e Instituto Natura, parceiros do Escola em Tempo Integral desde que ele teve início, em 2013. Nessa reunião, além de apresentar o que já foi feito nesses primeiros anos, ele mostrou o principal desafio, “a união de forças do Estado com os municípios”. Daí, o escopo do novo projeto foi delineado, com descrição das etapas a serem cumpridas. Agora, começa a construção e a captação dos recursos, e pelo cronograma, até 31 de dezembro a concepção definitiva precisa estar pronta para que a partir de 2019 ele comece, de fato, a ser executado.

Convênio na Serra

O município da Serra acaba de assinar seu primeiro convênio para implantar o modelo de escola em tempo integral. Essa metodologia de ensino foi trazida ao Estado pelo Espírito Santo em Ação a partir de uma bem sucedida experiência implantada no Ginásio Pernambucano no início dos anos 2000 e que foi responsável por revitalizar não apenas o modelo educacional, mas o comportamento dos alunos daquela que é a segunda escola pública mais antiga em operação no Brasil.

Atualmente, o modelo é desenvolvimento em três escolas de tempo integral na rede municipal de ensino de Vitória. No governo do Estado, onde a metodologia recebeu o nome de Escola Viva, a primeira unidade, localizada no bairro São Pedro, em Vitória, foi inaugurada em 2015. No ano seguinte, outras cinco começaram a funcionar; em 2017 a rede estadual chegou a 17 unidades e este ano se encerrará com 32 escolas de tempo integral em funcionamento – destas, uma é voltada para o ensino profissionalizante, uma parceria com o Senai, e instalada em Anchieta.