Assembleia Geral e Reunião do Conselho Operacional com palestra sobre Crescimento e Investimento pós eleições

Nesta terça-feira, 20 de novembro, a diretoria do Espírito Santo em Ação e membros do Conselho Operacional, da Rede Empresarial e dos comitês do movimento empresarial participaram da Assembleia Geral Extraordinária e Reunião do Conselho Operacional. Cerca de 40 pessoas marcaram presença no encontro que foi realizada no Hotel Sheraton, em Vitória, e contou, ainda, com uma palestra do economista-chefe da Apex, Arilton Teixeira.

O presidente do Conselho Deliberativo do movimento empresarial, Carlos Fernando Monteiro Lindenberg Neto, abriu oficialmente a Assembleia e passou a palavra ao diretor de Competitividade, Nailson Dalla Bernadina, que apresentou a proposta de alteração do Estatuto Social do ES em Ação e doação de bens patrimoniais. E diante da aprovação do Conselho para tudo o que havia sido exposto, a Assembleia foi finalizada.

Agradecendo a presença de todos, o diretor-presidente, Luiz Wagner Chieppe, destacou a mudança no Estatuto Social e a a importância de um Conselho Deliberativo como o do movimento. “Nosso Conselho é composto por 16 membros, constituídos inicialmente pelos associados fundadores.  Agora, à medida do desligamento dos fundadores, os membros serão substituídos  pelo demais membros do Conselho Operacional. Quando vemos uma instituição caminhar 15 anos e com um processo de crescimento e inovação, você sabe que ela foi implantada num alicerce muito forte”.

Convidado para dar um panorama sobre o crescimento e investimento do cenário pós-eleições, Arilton começou falando que o objetivo ali era entender o impacto das eleições no crescimento atual e o impacto do resultado das eleições e o comportamento dos líderes do futuro governo no mercado.

“A vitória de um candidato pró-reformas, buscando estabilidade e crescimento afetou a expetativas dos agentes. Mas este impacto não é imediato nos investimentos. Mudanças efetivas têm que ocorrer ou estar em vias de ocorrer para gerar investimentos nas empresas”, destacou.

Para finalizar, o economista-chefe da Apex argumentou que a economia brasileira conseguiu sair da recessão de 2014-2016 com mudanças na política econômica. “So que o crescimento não deslanchou em 2017 e 2018 devido ao aumento de incertezas. Os resultados das eleições devem reduzir as incertezas, melhorar a confiança e acelerar o crescimento nos diferentes setores. Mas devemos lembrar que as reformas são essenciais para a retomada vigorosa do crescimento”.

IMG_7630 IMG_7623 IMG_7638
<
>