O desafio da liderança

Os jovens do Instituto Líderes do Amanhã já estão preparados para colocar em prática o ideal de construção de uma sociedade mais justa e democrática

Manter a democracia forte e segura, neste país de contrastes e desigualdades seculares, é um imenso desafio nos tempos estranhos que vivemos no Brasil hoje. O avanço da Lava Jato, junto com outras iniciativas importantes para combater a corrupção no país, escancarou esse modelo vergonhoso de relacionamento entre empresas e políticos, mas deixou um legado de terra arrasada na credibilidade da política como instrumento de mediação civilizatória.

Junte-se a esse ambiente a ainda viva memória da força da economia brasileira, em tempos recentes, seguida do colapso a partir de 2014, e teremos um quadro preocupante a confundir ainda mais a já desconfiada cabeça do eleitor brasileiro – justo no momento em que este se prepara para escolher seus líderes para os próximos anos.

A democracia pressupõe conciliação de diversos interesses, prioritariamente os majoritários, sem, contudo, legar à míngua as minorias e os derrotados nas eleições. Afinal, quem se elege governa para todos. O papel de negociar esses consensos é primordialmente da política e dos líderes políticos, e, na falta de lideranças preparadas e empoderadas para essa tarefa, restarão as demais lideranças a decidirem, de forma menos eficiente, o nosso futuro e o do nosso país.

Começam a aparecer país afora algumas iniciativas muito importantes de formação de novas lideranças, no campo político e econômico. Afinal, o processo de recuperação ética do país depende de oxigenação na política e também nas relações empresariais, com uma governança corporativa que valorize a meritocracia e rejeite as práticas espúrias apuradas em operações como a Lava Jato.

Com relação a lideranças empresariais, nós, do Movimento Espírito Santo em Ação, sentimos orgulho por termos incubado uma dessas iniciativas, o Instituto Líderes do Amanhã. O Instituto prepara jovens profissionais para exercerem com entusiasmo, idealismo e formação robusta o papel de líderes em suas empresas e na sociedade.

Em evento recente realizado com sucesso pelo Instituto em Vitória – o Fórum da Liberdade e Democracia -, o “Líderes” deu mostra clara de que já dispõe de bons resultados a apresentar à sociedade capixaba. Os jovens líderes formados pelo Instituto já estão preparados para colocar em prática o ideal de construção de uma sociedade mais justa e democrática, onde as liberdades devem ser respeitadas e cultivadas.
São dessas cabeças e de novas ideias que precisamos para iniciarmos a reconstrução de nosso caminho. O sistema atual está com falência múltipla de órgãos. Está vegetando, em coma terminal.

Café Lindenberg

É o presidente do Conselho Deliberativo do Espírito Santo em Ação